A incrível arte de fazer mil coisas ao mesmo tempo

No post anterior, eu falava sobre as expectativas para 2017 e a palavra-chave que defini para simbolizar este ano: ação. Pois bem, o que a gente fala, pensa e sonha tem muito poder, e ação está sobrando este ano, ainda bem!

Tenho feito mil coisas, tudo ao mesmo tempo agora. Editei e coloquei no ar o lindo site Receitas Nestlé, escrevi para a Casa e Comida, sigo os estudos no Mestrado e, agora, tenho mais um blog, desta vez no UOL, o Menu do Dia. Tem sido uma aventura deliciosa falar a um público tão amplo e heterogêneo, tão diferente do que estou acostumada aqui e no Guloseima (aliás, o Guloseima vai voltar, mas isso é assunto pra outro post, prometo!).

Se, por um lado, fazer muitas coisas é excelente, por outro sobram alguns efeitos colaterais: a falta de tempo crônica, principalmente para mim e para a família. Teve dias que cheguei perto de ter um ataque de pânico, de tanto cansaço. Taquicardia, nervosismo, irritação, vontade de chorar, gritar, sensação de coração apertado, essa coisa toda. Por isso, em junho, resolvi fazer algo que tenho muita dificuldade: priorizar. Gente, como é difícil estabelecer prioridades, pra tudo!

Tenho pesquisado muito sobre como equilibrar as nossas relações e todas as instâncias de nossa vida. E acho que a vida contemporânea cobra um preço alto de todo mundo, principalmente das mulheres. É uma sobrecarga sem fim de tarefas, pois estamos a mil anos luz de alguma equidade. E tem toda a pressão de ser a melhor mãe do mundo, de não envelhecer nunca (háhá), de ser atraente, enfim. Os nossos embates e debates…

Como sei que tem muita gente vivendo a mesma loucura de dias corridos, deixo com você abaixo algumas dicas que têm me ajudado a viver um pouco mais leve. Ou, ao menos, tentar.

Priorize
Como falei ali em cima, tenho muita dificuldade de estabelecer prioridades. Sou meio obstinada, quando tenho um foco, sai de baixo! Isso é bom, mas quando vou ver, estou só trabalhando e nada mais. Por isso, tenho me esforçado para viver no presente, um dia de cada vez, dando prioridade à minha saúde, minha família e, na sequência, trabalho e estudos. Nem sempre consigo, pois, com o home office, de repente tudo vira trabalho e tarefas. Algo que tem me ajudado muito é meditar. Recomendo, nem que seja 10 minutinhos todos os dias. Eu gosto e recomendo esta daqui.

Organização é a chave do sucesso. Foto: Lu Mastrorosa
Organização é a chave do sucesso. Foto: Lu Mastrorosa

Organize-se
Tenho agenda de papel e tenho agenda online. Ambas ajudam a fazer algo imprescindível: me organizar. A organização, aliás, é um dos fatores que ajudam a priorizar o que é importante. Todo dia, checo a agenda e vejo quais são as tarefas. Tudo está lá, até os momentos de lazer. Aqui entra também um outro aspecto que foi tomando importância na minha vida: a organização do espaço. Eu, que sempre fui uma notória bagunceira, estou ficando alérgica a coisas espalhadas por todo canto da casa. Dica de leitura: Marie Kondo. Essa autora japonesa tem truques incríveis para destralhar, jogar fora a bagunça e viver mais leve. Ainda tenho MUITO a aprender, mas estou no caminho.

Arranje tempo para caminhar em meio à natureza. O Jardim Botânico de São Paulo é imperdível! Foto: Lu Mastrorosa
Arranje tempo para caminhar em meio à natureza. O Jardim Botânico de São Paulo é imperdível! Foto: Lu Mastrorosa

Exercite-se
Estou naquela fase da vida em que ter uma rotina de exercícios físicos é inegociável. Parece que tudo cai, tudo muda, a pele perde o viço, o sono fica pior, os hormônios já não são mais os mesmos… Aí você vai no cardiologista e ele dá risada da sua “rotina” de caminhadas leves uma ou duas vezes por semana. Pois é. Exercitar-me com regularidade é o maior desafio para mim, acho que o maior de todos. Não porque eu não goste, mas porque nunca criei, de fato, o hábito. Sugestão do meu médico: caminhar religiosamente por 1 hora, 5 dias na semana. Com isso, garante ele, dá para viver bem. Vou começar, conto se tiver sucesso.

Cozinhar é uma forma também de dedicar tempo a si mesma. Foto: Lu Mastrorosa
Cozinhar é uma forma também de dedicar tempo a si mesma. Foto: Lu Mastrorosa

Alimente-se bem
Alimentação, que coisa maravilhosa! Meu tópico favorito. Amo comer, amo cozinhar, amo falar de comida. Ocorre que, desde que tive minha filha, perdi um pouco o controle de tudo, inclusive do meu corpo. O metabolismo mudou de um jeito que tem sido difícil queimar uns quilinhos necessários. Nem é por estética apenas, é por saúde mesmo. Colesterol começa a aumentar, essas coisas. Lembra do começo do texto? Pois é, coloquei tantas, mas tantas tarefas na minha rotina que não tinha sequer tempo para comer direito, quiçá cozinhar. Isso estou mudando aos poucos. Tenho me esforçado para, simplesmente, prestar atenção ao que como. Assim evito substituir todo dia o lanche da tarde por um chocolate ou alguma coisa fácil de abrir e de comer, mas nem sempre boa para o corpo. Sigo apostando em porções menores e evitando alguns vilões já conhecidos, como comer com pressa, abusar do vinho e das gorduras… Sem neuras, sem dieta, tudo aos poucos, devagar e sempre. Quer um livro interessante sobre isso? Procure “O peso das dietas”, da Sophie Deram. A nutricionista francesa explica porque dietas radicais fazem um mal danado. Comer bem, com qualidade e em quantidade suficiente, é o melhor remédio.

Tire um tempo para simplesmente fazer nada, aproveitar a vida e a beleza da vida. Foto: Lu Mastrorosa
Tire um tempo para simplesmente fazer nada, aproveitar a vida e a beleza da vida. Foto: Lu Mastrorosa

Descanse
Quem tem filhos pequenos sabe que a rotina de descanso nunca mais será a mesma. É natural, pois a criança, principalmente em seus primeiros anos, exige muito dos pais, e que bom que seja assim. Mas acho que nós, os adultos, precisamos também lembrar de descansar. A gente fica tão preocupado que os filhos durmam, que comam bem e se exercitem, mas e o nosso exemplo, como é que fica? Confesso que tenho descansado muito pouco e isso é um transtorno. Uma medida que tenho colocado em prática é tirar alguns minutos do dia só para mim. Seja para ler um livro, ver um vídeo no youtube ou passear na rua. Às vezes são poucos minutos mesmo, só o suficiente para tomar um café; noutros, consigo encontrar os amigos e bater papo. Mas o fundamental é isso: encontrar espaço para o lazer, o descanso, redescobrir o que a gente gosta. Estou nessa!

Espero que essas dicas te ajudem a viver um pouco mais leve também. Tem alguma dica ótima? Compartilhe aqui com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *